PISO EM CONCRETO ARMADO

Conceitos básicos para construí-los:

Pisos armados são estruturas constituídas por placas de concreto, armadura em telas soldadas posicionada a 1/3 da face superior, por juntas com barras de transferência, por uma sub-base normalmente de brita tratada com cimento e um solo de apoio.

O campo de aplicação é muito amplo destacando-se:

. Indústrias, Estacionamentos, Depósitos / Armazéns, Quadras esportivas, Pátios de carga e descarga, Estradas, Aeroportos, Postos de gasolina, etc.

O piso armado apresenta grandes vantagens técnicas e econômicas sobre os tradicionais em concreto simples ou asfáltico.

Observe abaixo a ilustração do posicionamento dos elementos que compõe o piso:

Detalhe dos elementos que compões o piso de concreto.

Principais benefícios do uso de pavimentos armados:

Controle de fissuramento, Placas com comprimento de até 30 metros, Reduzido número de juntas, Maior planicidade, Maior segurança, Grande durabilidade, Facilidade de rolamento, Pouca manutenção, Menor espessura, Menor custo global, Menor distância de frenagem.

Os pisos não armados apresentam maiores custos de execução e diversos problemas durante a sua utilização.

Citamos algumas dificuldades habitualmente encontradas nos pisos não armados:

Fissuramento sem controle, Placas de no máximo 5 metros, Grande número de juntas, Pouca durabilidade, Dificuldade de rolamento, Constante manutenção, Espessura 20% maior.

Abaixo segue uma ilustração que demonstra a atuação das trincas e desníveis:

. ROTEIRO PARA EXECUÇÃO DE PISO ARMADO COM TELAS SOLDADAS:

Após regularizar a superfície, deve-se aguardar a secagem (no mínimo 48 horas) e, em seguida, fazer a aplicação na área utilizando primer fornecido pelo fabricante com consumo aproximado de 0,5 litro/m².

1. PREPARAÇÃO DA BASE:

1.1 Solo: Deve apresentar características de terreno de corte ou aterro, bem compactado.

1.2 Sub-base: tem a função de dar ao solo maior capacidade de resistência ao carregamento. Pode ser feita com 10 cm de brita tratada com cimento, que é uma mistura de brita 40% de brita 1,40% de brita 2,20% de areia fina 6% em peso de pó de cimento, sendo posteriormente umedecido e compactado.

2. ESCOLHA DA TELA SOLDADA E DA ESPESSURA DA PLACA:

Foram feitos estudos para dois tipos de cargas:

. t/eixo: carga móvel (exemplos: empilhadeiras, caminhões).

. t/m2 : carga estática (exemplo: material estocado).

3. EXECUÇÃO DAS FÔRMAS:

A concretagem deve ser em faixa, conforme esquema abaixo:

. Utilizar as placas já concretadas servem como fôrmas para as demais. Antes da 2ª etapa de concretagem, isolar uma placa da outra, aplicando uma pintura de cal ou desmoldante na lateral da placa já pronta e engraxar as barras de transferência.

. As barras de transferência deverão ser posicionadas através dos espaçadores soldados, ou por meio de caranguejos.

. As fôrma de madeira não devem ficar no piso e serão reaproveitadas .

4. POSICIONAMENTO DAS TELAS SOLDADAS :

. A tela obrigatoriamente deverá estar posicionada a 1/3 da face superior da placa com um recobrimento máximo de 5 cm, conforme abaixo:

Quando o solo for pouco confiável, deve-se utilizar armadura dupla. Neste caso, é indicado o uso de tela adicional Q 138, posicionada a 3 cm da face inferior da placa, conforme abaixo:

Quando o solo for pouco confiável, deve-se utilizar armadura dupla. Neste caso, é indicado o uso de tela adicional Q 138, posicionada a 3 cm da face inferior da placa, conforme abaixo:

4. ESCOLHA DAS JUNTAS E BARRAS DE TRANSFERÊNCIA (EXISTEM 3 TIPOS DE JUNTAS):

4.1 Junta de Retração (JR):

. São as juntas que permitem transferência de carga de uma placa à outra.

. Utilizadas nas juntas longitudinais para concretagem em faixas, observe a esquematização abaixo:

4. ESCOLHA DAS JUNTAS E BARRAS DE TRANSFERÊNCIA (EXISTEM 3 TIPOS DE JUNTAS):

4.1 - Junta de Retração (JR):

. São as juntas que permitem transferência de carga de uma placa à outra.

. Utilizadas nas juntas longitudinais para concretagem em faixas, observe a esquematização abaixo:

4.2 - Juntas Serradas (JS):

São as juntas de retração, quando da concretagem em faixas, na direção transversal. É necessário a interrupção da tela soldada e aplicação do selante, observe a esquematização abaixo:

4.3 - Junta de Encontro (JE):

Utilizadas toda vez que a placa encontrar com pilares, paredes, baldrames, etc, observe a esquematização abaixo:

5. ESPAÇADOR SOLDADO:

4.1 - Junta de Retração (JR):

Os espaçadores soldados separados de aproximadamente 1,20m, garantem o posicionamento da tela soldada ou barra de transferência, substituindo os tradicionais caranguejos.

6. ESPECIFICAÇÃO DO CONCRETO:

Preferencialmente utilize concreto usinado fck = 20,0 MPa com 50% de brita no. 1 e 50% de brita n o. 2. Sendo necessário misturar o concreto na obra, siga a especificação abaixo:

Este serviço é tão importante quanto quem o faça. Pois o custo de execução é considerável e a chance de ocorrer patologias e erros é muito grande, podendo gerar retrabalhos e transtornos gigantescos para o contratante. Por isso recomendamos a contratação de empresas especializadas com garantias. A Dins Engenharia executa este tipo de serviço.